Logotipo

Escritor – Site Oficial

Projeto Bibliotecas Públicas – Nacionais

Projeto Bibliotecas Públicas – Nacionais

Paises Lusófono escritor Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo editora Novo Século

(O Projeto Bibliotecas Públicas possui caráter exclusivamente pessoal, e não possui vínculo algum com qualquer entidade ou empresa pública ou privada. Trata-se de um projeto pessoal do autor que visa, tão somente, contribuir com a Literatura Lusófona; assim como, tornar o livro “21 Dias Nos Confins do Mundo” acessível ao maior número possível de pessoas, em especial jovens de escolas públicas e usuários das Bibliotecas Públicas em geral. Ressalto ainda que este projeto não possui patrocínio e os exemplares doados foram obtidos através da minha própria cota com autor do livro).


I Always dreamed about doing something good in favor to the countries who speaks portuguese, in special because most of them are poor countries in Africa and other continentes. I admire people who gives themselves, body and soul, many of them volunteers like in the project “medicines sans fronteires”. However, even beeing very far away from what I would really like to do, I feel a little confort and a few of happiness to realize something through literature, sending some copies of my book to the countries who also speaks portuguese, good part of them in Africa. My main objective is also to allow that most number of people can reach the book.

(Henry Jenné)

“Afastado do mundo dos livros pelas minhas origens sociais humildes, foi na Biblioteca Pública que me desenvolvi autodidaticamente. O hábito de frequentar bibliotecas ficou arraigado em mim já a partir dos 16 anos. Meu lugar favorito, indiscutivelmente, era a Biblioteca Municipal de Galveias, em Campo Pequeno, inaugurada em 1931 e ainda hoje em atividade. Foi ali que um dia encontrei um livro encadernado, que foi para mim como outro Sol que tivesse nascido.

(José Saramago – Prêmio Nobel de Literatura)


      CASO VOCÊ DESEJE, PODERÁ ASSISTIR O VÍDEO ACIMA


Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo Fundaçao Biblioteca Nacional

BRASIL

Carta referente ao Recibo de Registro do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo na Fundação da Biblioteca Nacional

Carta referente ao Recibo de Registro do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo no setor de Memória Nacional da Fundação da Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro.

A Biblioteca Nacional é o órgão responsável pela guarda, preservação e difusão da produção intelectual do País. Com mais de 200 anos de história, é a mais antiga instituição cultural brasileira.

Possui um acervo de aproximadamente 9 milhões de itens e, por isso, foi considerada pela UNESCO como uma das principais bibliotecas nacionais do mundo.

Seu acervo inicial data de 1808, com a chegada de D. João VI e sua corte ao Rio de Janeiro trazendo consigo o acervo da Biblioteca Real, como consequência da invasão de Portugal pelas tropas de Napoleão Bonaparte.

Abaixo algumas fotos da Biblioteca Nacional Brasileira:

visita do escritor Henry Jenné a Biblioteca Nacional Brasileira FBN  visita do escritor Henry Jenné a Biblioteca Nacional Brasileira FBN  visita do escritor Henry Jenné a Biblioteca Nacional Brasileira FBN

Quem desejar saber mais sobre a Fundação da Biblioteca Nacional, pode acessar o seguinte endereço eletrônico:

www.bn.br/


Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo Moçambique

MOÇAMBIQUE

Carta da Biblioteca Nacional de Moçambique acusando recebimento do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo do escritor brasileiro Henry Jenné

Carta da Biblioteca Nacional de Moçambique

A Biblioteca Nacional de Moçambique é um imóvel construído em 1904 para albergar a então Repartição da Fazenda. O edifício foi projetado pelo arquiteto Mário Veiga, vindo a acolher a Biblioteca em 1961. Encontra-se situada na Avenida 25 de Setembro, em Maputo. A Biblioteca Nacional de Moçambique também é responsável pelo sistema do depósito legal de Moçambique. Foi o primeiro dos 09 países Lusófonos (que falam a língua portuguesa) a receber “21 Dias Nos Confins do Mundo” foi Moçambique, país do grandioso escritor “Mia Couto”.


Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo Portugal

PORTUGAL

Cartas recebidas da Biblioteca Nacional de Portugal

Carta de agradecimento recebida pelo autor Henry Jenné vinda da Biblioteca Nacional de Portugal referente o livro 21 Dias Nos Confins do Mundo       Carta de agradecimento recebida pelo autor Henry Jenné vinda da Biblioteca Nacional de Portugal referente o livro 21 Dias Nos Confins do Mundo

Portugal, oficialmente República Portuguesa, é um país soberano localizado no Sudoeste da Europa, cujo território se situa na zona ocidental da Península Ibérica e em arquipélagos no Atlântico Norte. O território português tem uma área total de 92.090 km² sendo delimitado a norte e leste pela Espanha e a sul e oeste pelo Oceano Atlântico, compreendendo uma parte continental e duas regiões autônomas: os arquipélagos dos Açores e da Madeira. Portugal é a nação mais a ocidente do continente europeu. O nome do país provém da sua segunda maior cidade, Porto, cujo nome latino-celta era Portus Cale.


Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo Angola

ANGOLA

Carta recebida pelo autor Henry Jenné vinda da Biblioteca Nacional de Angola referente ao livro 21 Dias Nos Confins do Mundo

Carta de agradecimento recebida da Biblioteca Nacional de Angola.

Angola é um país da costa ocidental da África, cujo território principal faz divisa com Congo, Zâmbia e Namíbia. A independência do domínio português foi alcançada apenas em 1975, depois de uma longa guerra de libertação. Após a independência, Angola foi palco de uma intensa guerra civil (1975 a 2002). O país tem vastos recursos naturais, como grande reservas de minerais e de petróleo e, desde 1990, sua economia tem apresentado taxas de crescimento que estão entre as maiores do mundo, especialmente depois do fim da guerra civil. No entanto, a maioria da população vive abaixo da linha de pobreza.


Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo Guiné Bissau

GUINÉ-BISSAU

Carta de agradecimento e Catálogo da Biblioteca Nacional de Guiné Bissau

Carta de agradecimento recebida pelo autor Henry Jenné vinda da Biblioteca Nacional de Guine Bissau referente o livro 21 Dias Nos Confins do Mundo      Catalogo da Biblioteca Nacional de Guine Bissau com o livro 21 Dias Nos Confins do Mundo

 Guiné-Bissau fazia parte do Reino de Gabu, bem como parte do Império Mali. Localizado na África ocidental, faz fronteira ao norte com o Senegal. Partes deste reino persistiram até o século 18. Sua independência ocorreu em 1974 e foi a primeira colónia portuguesa no continente africano a ter a independência reconhecida por Portugal. Desde sua independência nenhum presidente eleito conseguiu completar com sucesso um mandato completo. Além do português, metade da população fala o Kriol. A partir de 2009 o Brasil participa de uma Comissão de Consolidação da Paz, prestada por meio de cooperação triangular com os EUA.


 Bandeira de Macau

MACAU

Carta de agradecimento recebida pelo autor Henry Jenné vinda da Biblioteca Nacional de Macau referente o livro 21 Dias Nos Confins do Mundo

Carta de agradecimento recebida da Biblioteca Nacional Macau.

Macau é uma das regiões administrativas especiais da República Popular da China desde 20 de Dezembro de 1999, sendo a outra Hong Kong. Antes desta data Macau foi colonizado e administrada por Portugal por mais de 400 anos e é considerada o primeiro entreposto, bem como a última colônia europeia na Ásia. A colonização de Macau teve início em meados do século XVI, com uma ocupação gradual de navegadores portugueses que rapidamente trouxeram prosperidade a este pequeno território, tornando-o numa grande cidade e importante entreposto comercial entre a China, a Europa e o Japão. Macau atingiu o seu auge no final do século XVI e início do século XVII, mas foi só em 1887 que a China reconheceu oficialmente a soberania e a ocupação perpétua portuguesa de Macau, através do Tratado de Amizade e Comércio Sino-Português. Desde 20 de Dezembro de 1999 o nome oficial de Macau é “Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China” (RAEM). Após o estabelecimento da RAEM, Macau atua sob os princípios do Governo Popular Central da RPC de “um país, dois sistemas” da “Administração de Macau pela Gente de Macau” e de “Alto Grau de Autonomia”, gozando por isso de um estatuto especial, semelhante ao de Hong Kong, e possuindo consequentemente um elevado grau de autonomia, limitado apenas no que se refere as suas relações exteriores e defesa. Também foi garantido pela RPC a preservação de seu sistema econômico-financeiro e de suas especificidades durante pelo menos 50 anos, isto é, até o ano de 2049.


BANDEIRA TIMOR LESTE

TIMOR LESTE

Em Timor Leste, além do Português, o Tétum também é considerada a língua oficial. Embora tenha declarado a sua independência apenas em 1975, apenas em 2002 o governo indonésio deixou o controle do território, permitindo a criação do mais novo estado soberano do século XXI, e um dos países mais jovens do mundo. Ocupando a parte oriental da Ilha de Timor, no sudeste asiático (Indonésia), seu território possui 14.874km2, o que equivale ao menor dos estados brasileiros, Sergipe. O país possui ainda 40% da população vivendo abaixo da linha da pobreza, efeito colateral de décadas de luta contra ocupação indonésia.

Timor Leste Projeto  Bibliotecas Públicas escritor Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo


Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo São Tomé e Principe

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

São Tomé e Príncipe é um estado insular localizado no Golfo da Guiné, composto por duas ilhas principais (Ilha de São Tomé e Ilha do Príncipe) e várias ilhotas, num total de 1001 km², com cerca de 160 mil habitantes e 98% da população falam o português. Não tem fronteiras terrestres, mas situa-se relativamente próximo das costas do Gabão, Guiné Equatorial, Camarões e Nigéria. Suas ilhas estiveram desabitadas até 1470, quando os navegadores portugueses João de Santarém, Pedro Escobar e Mr. Page as descobriram. Foi, então, uma colónia de Portugal desde o século XV até sua independência em 12 de julho de 1975, embora o país até hoje possui estreitos laços com Portugal.

São Tomé e Príncipe Projeto Lusófono escritor Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo editora Novo Século


Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo Guiné Equatorial

GUINÉ EQUATORIAL

A Guiné Equatorial é um país da África Ocidental, dividido em vários territórios descontínuos no Golfo da Guiné que possui, além do território continental, diversas ilhas. Embora possua o maio PIB per capita do continente africano, menos da metade da população tem acesso à água potável. Independente desde 1963, o país vive um regime ditatorial desde então. Seu território já pertenceu integralmente a Portugal, quando em 1777 através do Tratado de San Idelfonso, o mesmo foi compartilhado com a Espanha. Curiiosamente, este tratado foi o mesmo que devolveu a Ilha de Santa Catarina (Florianópolis) à Portugal em troca de parte do Rio Grande do Sul e da Colônia de Sacramento (hoje pertencente ao Uruguai). Em 2014 o país passou a integrar a lista dos países membros da Língua Portuguesa. Além do português, o espanhol e o francês são tidas como línguas oficiais do país.

A Guiné Equatorial é um país da África Ocidental, dividido em vários territórios descontínuos no Golfo da Guiné que possui, além do território continental, diversas ilhas. Embora possua o maio PIB per capita do continente africano, menos da metade da população tem acesso à água potável. Independente desde 1963, o país vive um regime ditatorial desde então. Seu território já pertenceu integralmente a Portugal, quando em 1777 através do Tratado de San Idelfonso, o mesmo foi compartilhado com a Espanha. Curiiosamente, este tratado foi o mesmo que devolveu a Ilha de Santa Catarina (Florianópolis) à Portugal em troca de parte do Rio Grande do Sul e da Colônia de Sacramento (hoje pertencente ao Uruguai). Em 2014 o país passou a integrar a lista dos países membros da Língua Portuguesa. Além do português, o espanhol e o francês são tidas como línguas oficiais do país Guiné Equatorial


Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo Cabo Verde

CABO VERDE

Cabo Verde é um país insular localizado num arquipélago formado por dez ilhas vulcânicas na região central do Oceano Atlântico. A cerca de 570 quilómetros da costa da África Ocidental, as ilhas cobrem uma área total de pouco mais de 4.000 quilómetros quadrados. Os exploradores europeus descobriram e colonizaram as ilhas desabitadas no século XV, sendo o primeiro assentamento europeu nos trópicos. Idealmente localizado para o comércio de escravos no Atlântico, o arquipélago prosperou e muitas vezes chegou a atrair corsários e piratas, entre eles Sir Francis Drake, na década de 1580. As ilhas também foram visitadas pela expedição de Charles Darwin em 1832. O arquipélago foi ocupado conforme a colônia cresceu em importância entre as principais rotas de navegação entre Europa, Índia e Austrália, população aumentou de forma constante. Independente de Portugal desde 1975, a economia cabo-verdiana é focada no turismo e em investimentos estrangeiros, que se beneficiam do clima quente o ano todo, da paisagem diversificada e da riqueza cultural, especialmente na música. Historicamente, o nome “Cabo Verde” tem sido usado para se referir ao arquipélago e, desde a independência, em 1975, ao país. Em 2013, o governo local determinou que a designação em português “Cabo Verde” passaria a ser utilizado para fins oficiais.

Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo Cabo Verde


Abaixo quadro resumo sobre os países lusófonos e os países e

territórios onde o português possui relevância

Projeto lusófono do escritor brasileiro Henry Jenné autor do livro 21 Dias Nos Confins do Mundo